Anúncios

A Cocari está novamente entre as Melhores e Maiores em ranking divulgado no dia 20 de novembro pela Revista Exame. O guia apresenta as mais relevantes empresas do Brasil com base na avaliação de balanços e indicadores financeiros das companhias em 2019. O ranking avalia dados de mais de 3.000 empresas que atuam no Brasil. As melhores organizações identificadas em 20 setores da economia destacam-se pelo sucesso na condução dos negócios e na disputa de mercado.

Classificação – No ranking Melhores e Maiores 2020 da Revista Exame, a Cocari está entre as 500 maiores empresas brasileiras, na 400ª posição (2019) e entre as 400 maiores do Agronegócio no segmento Algodão e Grãos, ocupando a 89ª posição (2019).

Ganhos coletivos – O presidente da cooperativa, Vilmar Sebold, considera o resultado como um “marco histórico” e destaca que o ranking trata de números obtidos em 2019. “Verificar crescimento e evolução da cooperativa é positivo, mas temos de nos lembrar que atuamos em uma área que chamamos de indústria a céu aberto. Portanto, para que a Cocari cresça, é importante que os produtores consigam fazer uma boa colheita, apresentando boa produtividade, porque, dessa forma, todos crescemos juntos”, ressaltou.

Crescimento – Em relação ao anuário anterior das 500 maiores empresas (2018), a Cocari subiu 55 posições. De acordo com Vilmar Sebold, a evolução alcançada nesse período resulta de dois fatores. “Seguramente, essa crescente aconteceu porque os associados obtiveram maior volume de produção e também porque houve uma participação mais intensa da cooperativa junto aos produtores. É importante ressaltar que este é o resultado dos esforços e da seriedade no trabalho desenvolvido por todos”, disse.

Expansão – Em 2019, a Cocari expandiu sua área de atuação, favorecendo a conquista dos números. “Ampliamos a nossa área de ação, em um processo de expansão horizontal, de forma especial no Cerrado, e também em algumas áreas do Paraná”, observa.

Profissionalização – Outro aspecto comentado pelo presidente da Cocari foi a profissionalização da equipe e os efeitos desse processo no crescimento da cooperativa. “Efetivamente, a profissionalização da gestão não acontece somente a nível executivo. Hoje exige-se maior preparo de todos que atuam dentro da cooperativa, assim como dos produtores. Os cooperados querem o máximo de tecnologia para avaliar e validar aquilo que irão utilizar em sua propriedade. E em todos os níveis, os colaboradores também precisam estar muito bem preparados para que o produtor possa se sentir confiante e seguro sobre as suas atividades”, enfatizou.

Perspectivas – Vilmar Sebold falou também a respeito do atual foco da Cocari. “Este ano foi muito peculiar e, por isso, temos de rever todas as nossas posições e efetivamente nos preparar para novos saltos. Este é o grande desafio. O ano de 2020 está acabando, por isso, já temos de voltar nosso olhar para 2021. As mudanças serão inevitáveis e virão com muita força. Realmente, vamos ter de analisar o que é possível ser feito, assim como as expectativas dos produtores em relação às mudanças que estão acontecendo”, disse.

Segurança – A pandemia de Covid-19, que motivou essas transformações, reforçou algumas prioridades. “Neste meio de pandemia em que estamos vivendo, temos de ter cautela, tomar cuidados e lembrar que, para que continuemos crescendo e fazendo o nosso trabalho, é imprescindível que saiamos ao final desse processo todos bem, com saúde”, pontuou.

Preparação – Para isso, é preciso manter o comprometimento com essa atividade. “É necessário tratar tudo com seriedade, com a ética e a postura que se exige em relação a isso na cooperativa e também com os produtores. Não há maiores mistérios. Se o produtor tiver uma frustração, ela repercutirá no trabalho da cooperativa. Por outro lado, se o produtor tiver bons resultados, a cooperativa também terá a oportunidade de ser bem-sucedida. O mercado será a cada dia mais competitivo e exigirá cada vez mais de todos nós”, avalia.

Imprensa Cocari

Compartilhe o post com seus amigos!