Médico vascular Rogério Nabeshima

Médico vascular Rogério Nabeshima explica que varizes tratadas também não voltam.

Anúncios

Vasinhos podem se transformar em varizes? Não. Segundo o médico cirurgião vascular Rogério Nabeshima, de Apucarana, isso não acontece porque vasinhos (telangiectasias) ocorrem pela dilatação dos capilares superficiais. “Já as varizes decorrem do adoecimento de veias, que são vasos bem maiores e estão localizadas abaixo da pele”, explica.

O médico observa ainda que outro questionamento muito comum é se “as varizes voltam?”. “Outra vez a resposta é não. As varizes retiradas ou tratadas não voltam. O que ocorre é o fato de a doença venosa (própria de cada paciente) poder atingir outras veias que não estavam previamente doentes. Com o adoecimento de outros vasos, o paciente volta a apresentar os mesmos sintomas e pode precisar realizar um novo tratamento, seja cirúrgico ou não”, esclarece.

De acordo com Nabeshima, a mesma questão envolve os vasinhos. “Os vasinhos tratados também não voltam, porém podem surgir outros na mesma região, o que gera essa sensação”, comenta.

Ele explica que os vasinhos, apesar de incomodar pelo aspecto de “teia de aranha”, não compromete a saúde vascular, apesar de causarem sensação de peso nas pernas e queimação.

“Já varizes, veias mais calibrosas e salientes, de cor azulada ou esverdeada, exigem mais atenção e podem comprometer o bem-estar de uma pessoa. As varizes podem causar inúmeros incômodos, como dor, inchaço e, em casos mais graves, úlcera, hemorragia e até trombose”, ressalta.

Isso ocorre, segundo o especialista, porque as varizes acometem tanto as veias reticulares quanto as tronculares. Varizes são veias tortuosas com diâmetro acima de 3mm, que chamam a atenção por ficarem saltadas à pele.

 

Compartilhe o post com seus amigos!