Crime aconteceu em janeiro 2016, quando a mulher ainda era casada com o pai da criança

Joelma Souza Silva, acusada de matar a sua enteada Micaela, de 4 anos, foi condenada a 32 anos de prisão pelo 4º Tribunal do Júri do Rio de Janeiro. O crime aconteceu em janeiro 2016, quando a mulher ainda era casada com o pai da criança, com quem vivia na Zona Norte do Rio, em Brás de Pina.

As investigações revelaram que a condenada espancou a garota até a morte por sentir ciúmes do marido com a filha dele. Micaela foi encontrada sem vida no apartamento da família, com lesões na cabeça, nos membros inferiores e nas mãos. Felipe Ramos da Silva, pai da vítima e então companheiro de Joelma, chegou a ser preso pelo crime, mas em seguida foi absolvido pela Justiça.

Conforme relata o G1, testemunhas contaram à polícia que as agressões praticadas pela madrasta contra a menina eram frequentes. O delegado responsável pelo caso confirmou que foram identificadas lesões antigas no corpo da criança, o que comprovava agressões anteriores, além de sinais de desnutrição. O próprio filho de Joelma, Wellington, que tinha 25 anos na época do crime, denunciou a mãe à polícia depois de encontrar o corpo da irmã em casa.

“Como reconheceu o Tribunal Popular, o motivo do crime foi manifestamente torpe, simples intolerância que nutria a ré pela vítima, por ser a criança filha de seu companheiro com outra mulher. O dado foi, inclusive, confirmado pelo corréu Felipe, que, em seu interrogatório judicial, ratificou que a ré tinha ciúmes dele e não gostava da enteada”, escreveu o juiz Gustavo Gomes Kalil na sentença, reproduzida pelo Extra.

FONTE: NOTÍCIAS AO MINUTO