Foto / Portal do Tossinha.
Anúncios

A Policia Militar recebeu um chamado por volta de meia noite deste domingo (17) para atender uma ocorrência de perturbação de sossego.

Uma equipe da RPA foi deslocada até a rua Arnaldo Severo Romani no Jardim Pérola, antigo pesqueiro, onde foi constatado que o som alto viria de um veículo dentro da propriedade.

Perguntado quem seria o proprietário, uma pessoa que estava dentro da residência assumiu ser o dono do local, foi solicitado que o mesmo saísse da residência e viesse até o veículo, ordem essa que não foi acatada sendo necessário chama-lo mais uma vez sendo atendido pela pessoa que se identificou como V. F. M.

  1. chegou na equipe Policial e perguntou o que eles estariam fazendo ali que o mesmo não estaria fazendo nada de errado, logo saiu a esposa de V. a senhora J. C. S. dizendo que é ilegal o que a equipe estava fazendo e não deveriam estar no local.

Diante do som alto V. foi informado de que o equipamento seria apreendido e que o mesmo deveria acompanhar a equipe para realizar os procedimentos, momento este que V. e sua esposa J. começaram a gritar dizendo que não iriam a lugar algum. Diante do local conter vários frequentadores foi solicitado apoio do DPM de Cambira.

Enquanto aguardavam apoio V. e sua esposa J. e mais um individuo identificado como G. A. M. começaram a xingar a equipe Policial com palavras de baixo calão, e ninguém levaria o som. Após a chegada da equipe de Cambira foi retirado o som e solicitado aos envolvidos que acompanhassem a equipe Policial.

Momento este que começaram novamente os xingamentos e adentraram a residência, diante da desobediência foi solicitado o apoio do DPM de Bom Sucesso, Marumbi e Rotam de Apucarana. Chegou ao local o advogado dos autores que conversou com os autores para que acompanhassem a equipe.

Após a chegada das equipes de apoio os autores junto com o advogado se apresentaram e foi dado voz de prisão e submetidos a revista pessoal, onde no bolso de V. foi encontrado um canivete.

Todos foram levados até a DP para confecção do boletim, onde V. ainda continuou a insultar e xingar os Policiais. Após a confecção do B.O, todos foram entregues à Delegacia para os procedimentos cabíveis.