Dr. Nathália Pella reforça que manutenção é essencial para evitar infeções e a peri-implantite
Anúncios

Infecção é causada por bactérias da placa bacteriana, que surgem com o acúmulo de resíduos de alimentos

O Brasil é um dos países que mais realizam implantes dentários no mundo. Além de popular, essa técnica é extremamente bem sucedida quando o assunto é a reabilitação oral. A taxa de sucesso dos implantes ultrapassa 97% de efetividade nos primeiros cinco anos e 90% em mais de dez. Porém, o cuidado com a higiene é essencial para evitar a peri-implantite, infecção responsável pelo maior índice de perda de implantes, alerta a dentista Nathália Pella, da Oral Implants, de Jandaia do Sul.

Após o implante feito, ou seja, quando o processo de osseointegração está consolidado, a complicação biológica mais comum é conhecida como peri-implantite, doença infecciosa, causada por bactérias da placa bacteriana. Aquela mesmo que temos que remover diariamente, com escova, fio e creme dental, para preservar a saúde bucal.

A dentista explica que a manutenção do implante é essencial para garantir a sua saúde bucal e começa pela higienização correta, que envolve escovação com pasta de dente, elixir oral (se for o caso), uso do fio dental e jato d’água para remoção total dos resíduos de alimentos.

“Porém, no mínimo, uma vez ao ano é importante visitar o seu dentista para que ele faça uma limpeza profissional dos implantes. Neste procedimento, além usar produtos e equipamentos diferenciados, o dentista avalia a sua saúde bucal, em especial na região dos implantes”, ressalta da Nathália, da Oral Implants.

Ela alerta que a higienização incorreta pode levar ao surgimento de placa bacteriana, que afeta a estética do implante, a saúde da boca e pode levar, inclusive, a perda dos implantes. “Uma das consequências da placa bacteriana é a peri-implantite, doença que causa a inflamação do tecido ao redor do implante. O paciente com peri-implantite pode ter perda óssea e exposição dos pinos instalados. Por isso, mais uma vez, mantenha uma rotina de cuidados com a sua boca”, alerta.

Quando o paciente não faz a higienização correta em casa nem procura ajuda profissional, a infecção pode evoluir e o paciente pode apresentar mau hálito, inchaço ao redor do implante, pus, sangramento, gengiva avermelhada, bolsas gengivais aprofundadas, e mais importante, perda óssea. Estes últimos sinais podem ser detectados apenas pelo dentista especializado, assim, é fundamental a visita a esse profissional regularmente.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Portal do Tossinha no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Portal do Tossinha no Facebook aqui.

Clique aqui para enviar mensagem no whatsapp