Anthony Quintano / Wikimedia / Mark Zuckerberg, o criador da rede social Facebook.

Mark Zuckerberg, criador e CEO do Facebook, assume que não sabe estabelecer um limite para o dinheiro que uma pessoa deve ter, mas que a partir de um certo ponto é um exagero.

“Não sei se tenho um limite exato para a quantidade de dinheiro que alguém deve ter, mas a um certo nível ninguém merece ter tanto dinheiro“, disse Mark Zuckerberg. O criador do Facebook é considerado o quinto homem mais rico do mundo, mas não teve papas na língua na altura de comentar sobre a riqueza excessivos dos multimilionários.

A declaração do norte-americano foi feita numa transmissão em direto no Facebook, na qual foi confrontado com a ideia de Bernie Sanders, candidato democrata às eleições americanas em 2020, que pretende acabar com os multimilionários. Ironia ou não, em abril, o Politico escrevia que, em 2016, o democrata tornou-se milionário ao acumular ganhos superiores a um milhão de dólares.

Apesar de tudo, Zuckerberg pareceu concordar em parte com Sanders, compreendendo o político quando este diz que os milionários não deviam existir. “Acho que se fazes algo que é bom, és recompensado, mas creio que alguma da riqueza que pode ser acumulada é excessiva”, acrescentou, citado pela Visão.

Com uma fortuna de 70 mil milhões de dólares, Zuckerberg é o quinto homem mais rico do mundo segundo a Bloomberg.

As declarações de Zuckerberg surgem também pouco tempo depois do The Verge ter revelado o áudio de uma reunião interna da administração da empresa. Nela, Zuckerberg fala dos críticos, concorrentes e do governo americano, falando nomeadamente da ideia de outra candidata democrata, Elizabeth Warren, em acabar com o Facebook.

“Temos alguém como Elizabeth Warren que pensa que a resposta correta é separar as empresas se for eleita Presidente, então acredito que teríamos um desafio legal e que o ganharíamos. E isso é mau para nós? Sim. Não quero ter um grande processo legal contra o nosso governo”, ouve-se na gravação.

ZAP