Imagem ilustrativa / Divulgação UniCesumar

Quatro alunos de Medicina da UniCesumar tiveram as matrículas canceladas e foram expulsos da instituição em Maringá. A decisão foi tomada nesta terça-feira (3/9), após confirmação de fraude na prova do vestibular realizada em junho de 2019.

Durante o processo de auditoria do Vestibular, a UniCesumar verificou uma possível fraude envolvendo dois alunos e, ainda no andamento das apurações, recebeu denúncia de que outros dois alunos também teriam praticado fraude na prova do vestibular.

No final da investigação ficou confirmado que quatro alunos se envolveram em irregularidades para o ingresso na Instituição. A fraude se constituiu na contratação de terceiros para a realização da prova. Eles apresentam documentação falsa e se passaram pelos verdadeiros inscritos no dia da prova.

Após a conclusão das investigações foi instaurado procedimento administrativo. Os quatro envolvidos foram ouvidos e confessaram o esquema fraudulento.

Tal situação somente foi possível porque a instituição adota em todas as fases do vestibular o rigor necessário para garantir a fidedignidade do mesmo.

Segundo o vice-reitor da UniCesumar, Wilson Matos Filho, “esta não foi a primeira tentativa de fraude que sofremos. No primeiro vestibular de Medicina encaminhamos para a delegacia onze candidatos que tentaram burlar o sistema. Nos demais cursos, estamos sempre atentos na aplicação das avaliações. Isto porque acreditamos que a Educação é um agente de transformação e, sendo uma instituição que preza por seus valores, pela qualidade e desenvolvimento de nossos alunos, não medimos esforços para combater irregularidades e a corrupção de todos os tipos e em todos os níveis.”

Todas informações colhidas pela investigação interna e pelo procedimento administrativo vão ser encaminhadas às autoridades competentes para que possam adotar as medidas judiciais cabíveis.

A instituição ressalta que não compactua, comunga ou possui qualquer conivência com atos fraudulentos. Toda oferta de vagas ou qualquer outro ato que vise desrespeitar os procedimentos existentes pode constituir crime e vai ser apurado com rigor.

Maringá Post