Anúncios

Um filhote de leão foi abandonado na região do Daguestão, na Rússia. Sua situação calamitosa foi descrita como “um verdadeiro inferno” pela resgatadora.

Encontrado amarrado em um local frio, o animal estava com as duas pernas traseiras quebradas, sinais de agressões, fraco e desnutrido.

Mas o que torna a história mais vil é que o fotógrafo e antigo dono do filhote, nomeado como Simba, quebrou os membros do animal propositalmente para que não fugisse dos turistas durante sessões de fotos, segundo o site Lad Bible.

De acordo com noticiários locais, Simba foi separado da mãe com apenas algumas semanas de vida e utilizado como atrativo em uma praia russa, na qual turistas poderiam tirar fotos com o animal selvagem. Ao começar a crescer e se tornar mais ativo, suas patas foram quebradas para que “se comportasse”. Como consequência, sua medula espinhal foi afetada e logo foi abandonado.

Yulia Ageeva, responsável por liderar a missão de resgate, relatou: “ele praticamente estava sem comer, e por alguma razão, água gelada era constantemente jogada nele […] Era um verdadeiro inferno”.

Felizmente, Simba sobreviveu a ele.

O processo de readaptação foi difícil e doloroso. O jovem leão ainda teve úlcera de pressão, obstrução intestinal e atrofia dos músculos dos membros traseiros. Ele passou por cirurgia nas patas, precisou reaprender a andar novamente e ficou sob os cuidados do veterinário Karen Dallakyan, que frequentemente publica no Instagram o progresso do felino.

“Fotógrafos maldosos quebram os ossos desta forma para que animais selvagens não possam escapar e se comportem tranquilamente na hora de tirar fotos [com os turistas]”, explicou o especialista.

O animal voltou a andar, mas possui deformações permanentes.

Confira o progresso de Simba:

Virgula

Compartilhe o post com seus amigos!