Polícia revela que o motivo teria sido uma divida referente a compra de um carro.

O estado da Bahia parou para acompanhar um macabro ocorrido na cidade de Poções. O dono de uma funerária, identificado como Caio Souza Cunha, acabou sendo preso por ter assassinado um servidor público, identificado como Jadson Neves. O acusado usou uma pistola .38 e atirou 11 vezes contra o corpo da vítima. Segundo informações, a vítima devia ao comerciante uma quantia no valor de R$ 18 mil.

O crime aconteceu na última sexta-feira (18), em um local da zona rural do município. Segundo investigação, o acusado atraiu a vítima para o local bem distante do centro. O plano foi praticado com a ajuda de um funcionário da funerária que acabou sendo preso como cúmplice no homicídio.

Após cometer o crime, o empresário ainda foi o responsável por preparar o corpo da vítima em sua funerária e esteve com parentes e amigos no momento do enterro, que foi celebrado no sábado (19). A delegada Alessandra Márcia Cardoso, responsável pelo caso, afirmou que o empresário matou o homem por causa da dívida referente a venda de uma picape S10, que foi adquirida pelo servidor, na época, por um valor de R$ 55 mil, porém, não havia pago o restante.

A delegada não soube informar há quanto tempo que a vítima tinha essa dívida com o acusado. “O acusado não quis se pronunciar em seu depoimento, afirmou que só abrirá a boca em juízo”, disse a delegada em uma coletiva de imprensa.

Tanto o empresário quanto o funcionário que participou da ação foram presos nesta segunda-feira (21). Após buscas, a polícia conseguiu encontrar a arma do crime, que estava na casa do empresário.
Ainda segundo a delegada, o empresário cometeu o crime sozinho. O funcionário, identificado por Alex, vai responder por ter guardado a arma utilizada no crime.

Diante do escândalo na cidade, e após a descoberta do autor do crime, familiares da vítima ameaçaram invadir a delegacia onde o empresário está detido. Diante disso, a delegada decidiu transferir o empresário para o Presídio Nilton Gonçalves, na cidade de Vitória da Conquista, que fica a 100 quilômetros de Porções.

Nas redes sociais, centenas de pessoas comentaram sobre o ocorrido, levantando e pedindo que a justiça fosse feita contra os autores do crime. “Como uma pessoa consegue ser tão fria ao ponto de assassinar um semelhante e em seguida ainda preparar o corpo para o eventual enterro. Gente, o amor das pessoas está cada vez menor. Que Deus tenha misericórdia de todos nós”, comentou uma internauta no Facebook.