Foto / Adriano Machado
Anúncios

Em postagem feita no Twitter nesta manhã, o presidente Jair Bolsonaro atribuiu ao tráfico de drogas a manutenção do Foro de São Paulo, organismo formado por partidos progressistas de toda a América Latina, e dos movimentos ligados a ele. No Brasil, participam PT, PCdoB, PDT, PCB e Cidadania (Ex-PPS). O PSB se retirou recentemente da organização.

“Apreensão recorde em 2019 já superou 60 toneladas. Sufocamento do crime organizado, retirando o sustento dos partidos e grupos terroristas que compõem o Foro de SP”, publicou Bolsonaro no Twitter.

Esta não é a primeira vez que o presidente cita o Foro de São Paulo ao comentar sobre ações da Polícia Federal de combate às drogas. Na última sexta-feira ele usou a mesma retórica: “Estamos sufocando o crime organizado, bem como, retirando o sustento dos partidos e grupos terroristas que compõem o Foro de SP. Estes pretendem, mediante o terror, empobrecimento dos povos e falta de educação, manterem seus líderes ativos e sempre buscando o poder!”.

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, também atacou o organismo em seu Twitter ao comentar sobre as fortes manifestações que sacodem o Equador, atribuindo ao Foro a mobilização. “A América do Sul está mobilizada em defesa da democracia no Equador, onde forças de esquerda, apoiadas na rede criminosa do Foro de S. Paulo, com violência e vandalismo, tentam solapar o Presidente legítimo Lenin Moreno. A ameaça é continental, a resposta tem que ser continental”, disse.